quarta-feira, 1 de junho de 2011

Se o PS tivesse optado pelo TGV Porto-Vigo tinha ganho as eleições.

Nesta altura de contenção de investimentos, o PS deveria ter canalizado o investimento no TGV Lisboa-Madrid para o TGV Porto-Vigo.

Fundamento a minha opinião nos seguintes pontos:
  1. O custo do troço Braga-Vigo é cerca de metade do troço Poceirão-Caia.

  2. A primeira fase do TGV Porto-Vigo (Braga-Vigo) já por si é útil pois liga-se a uma infraestrutura já existente, enquanto que o TGV Poceirão-Caia de nada servirá enquanto não se fizer Lisboa-Poceirão. E Lisboa-Poceirão terá um custo 6 vezes superior a Poceirão-Caia.

  3. Os distritos que mais exportam para Espanha são 1º Porto, 2º Aveiro, 3º Lisboa, 4º Braga, 5º Viseu, e só em 6º lugar aparece o 2º distrito na zona sul, Leiria.
    Dados de um estudo coordenado pelo Prof Horácio Faustino do ISEG da UTL.

  4. A fronteira com a Galiza é a maior fronteira portuguesa.

  5. 10% dos turistas que visitam a Galiza já o fazem pelo aeroporto do Porto. Deslocam-se para Vigo ou Santiago de Compostela de autocarro. Se o pudessem fazer por TGV seriam muito mais.

  6. A ligação ferroviária actual demora cerca de 4 horas para fazer os 130 km que separam Porto de Vigo!!!!

  7. A zona norte é a zona do continente mais fustigada pelo desemprego, pelo que nesta altura o emprego que a construção e manutenção do TGV criariam seriam uma enorme mais valia.

  8. Um TGV nessa zona servia grandes cidades como Porto, Braga, Guimarães ou Viana do Castelo, e pequenas cidades como Povoa do Varzim, Ponte de Lima, Arcos, Barcelos, Esposende, Vila do Conde, Famalicão, Santo Tirso, Gondomar, Maia ou Matosinhos. Sem esquecer as cidades a sul do Porto como Gaia, Espinho, Ovar, Aveiro, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, .... e tantas outras.
Como nota final refiro que as obras não devem ser decididas pelos votos que podem dar a ganhar, mas pela necessidade que o país tem delas. A necessidade que a região norte tem de um comboio rápido para a Galiza é inquestionável. Mas neste caso, a decisão política de optar por esta obra traria como bonus o agradecimento das populações da zona abrangida por este investimento.

Quando no dia 5 de Junho se fizer a contagem dos votos estou convencido que os votos desta região vão fazer a diferença.

Sem comentários:

Enviar um comentário