sábado, 18 de setembro de 2010

O absurdo da pretensão da Associação dos Clubes de Vídeo

A Associação do Comércio Audiovisual de Portugal anuncia que iniciou um procedimento administrativo com vista ao bloqueio do acesso ao site "The Pirate Bay" através de território português.

Mas como é que uma associação de um comércio em decadência se permite pretender bloquear o acesso a um ou dois sites específicos, na vã esperança de os salvar da ruína anunciada. Meus senhores, sejamos claros, o comércio dos clubes de vídeo está em decadência porque o modelo de negócio está esgotado. E não é por causa da partilha de ficheiros online, mas porque as pessoas já não precisam de sair de casa para verem os filmes que querem. Basta alugá-los por video-on-demand utilizando a set-top box que têm em casa (MEO, ZON, Clix, ...).

O negócio dos clubes de vídeo não é, nem será, o único a desaparecer devido ao evoluir dos tempos. As lavadeiras desapareceram com as máquinas de lavar, os alfandegários com a abertura das fronteiras, ou as velhinhas casas de máquinas jogos (onde se jogava Flippers, Tetris, Arkanoid, Bubble Bobble, ...) desapareceram quando as pessoas passaram a jogar em casa.

A pretensão desta associação é tão absurda quanto seria a da Recreativos Cristo-Rei - Exploração de Máquinas de Diversão e Recreativas Lda de interpor uma providência cautelar para proibir a venda de Playstations, de Nintendos e de computadores porque estes lhe estão a arruinar o negócio!

E faz lembrar o famoso caso Betamax que opunha a Universal Studios (entre outras) contra a Sony, pretendendo proibir esta última de fabricar gravadores de video. Sim, é verdade, queriam proibir o fabrico dos velhos VCR! E o processo durou anos, desde os anos 70 até 1984, quando finalmente foi decidido que a pretensão da Universal Studios era improcedente!

Sem comentários:

Enviar um comentário